Plano Diretor

Através da substituição do concreto com nativas, do compartilhamento das espécies, da reposição de matas ciliares protetivas nas margens dos corpos hídricos, estradas, construções, morros, e curvas de nível resolvemos as inundações de cidades de forma estratégica e com o plano diretor autossustentável e detalhado, com planejamento completo de logística para cada município em toda sua extensão.

O plano diretor para a reposição de biomas é um projeto ESO-A com um passo a passo para a recuperação do ciclo das águas e implantação da logística reversa por meio de uma equipe técnica de suporte com um banco de dados com teses, projetos e documentários e cadastro de demanda e oferta de trabalho.

Isso promove a união de secretarias de meio ambiente e secretarias de promoção social, bibliotecas e especialistas em biblioteconomia, setores públicos e iniciativas privadas, escolas, universidades, creches, penitenciárias, vocacionados nativos e a sociedade com os setores públicos e privados, embaixadas e as esferas do setor público na implantação de uma política econômica sustentável, viabilizando as formas e recursos para a inclusão social.

Com o trabalho de educomunicação, visa facilitar a interação para a geração de riquezas, troca de cultura e facilidade de acesso às inovações para otimizar a produção de bens e serviços com o desenvolvimento da tecnologia, visto que o sistema produtivo atual tem essa necessidade para evoluir com políticas públicas, com atividades éticas sustentáveis, inovação educacional e cultural e o desenvolvimento humano.

Além disso, trabalha na implantação de disciplinas inovadoras e necessárias ao desenvolvimento humano: gestão ambiental, especialização em gestão de resíduos e o conhecimento básico para a logística reversa. Um dos objetivos é estar presente em todas as séries escolares, desde o primeiro ano na creche, buscando alfabetização completa com auto letramento, conhecimento sobre sustentabilidade, especialmente a base da cadeia alimentar que foi dizimada e é responsável pelos alimentos globais.

O Centro Integrado Interativo Globalizado por área e por município, em toda a área limítrofe conta com informações, documentários, dossiês, mapeamentos, planejamentos, soluções, voluntários, pessoas físicas e jurídicas na busca de recursos e ofertas de recursos com um centro de registro das teses e projetos, onde os cidadãos poderão ter acesso a pesquisas e conhecer o contexto geral dos tipos de atividades globalizadas e saber sobre as soluções apresentadas além de poderem trabalhar na implantação dos projetos e soluções.

Como o Centro Interativo Globalizado tem as informações de todos que estão envolvidos nas causas ambientais e sociais, os editais podem ter os cidadãos apresentando projetos e imediatamente dispondo da equipe de trabalho in loco formada para atuar desenvolvendo os trabalhos. Isso em quaisquer locais que objetivam liderar, seja no mesmo município, seja em qualquer outro.

Educomunicação Global: um canal de comunicação aberto com alfabetização básica, letramento com conhecimento sobre sustentabilidade, fluência global, otimização do ensino, inovações e o uso da TI.

Políticas Saúde Pública Preventiva Global: com inovações gerais e globais, solução aos esgotos a céu aberto, saúde alimentar, segurança, sistema imunológico, vigilância sanitária e adequações de moradias. Prevenção e segurança do ambiente dos humanos, fauna, flora, solos, águas e ar.

Mapeamento: dossiê completo dos biomas ecossistemas, propriedades flora-fauna, compartilhamento de nativas, insumos e alimentos globais.

Produção: políticas de alta produtividade adequadas por sazonalidade e por regiões; política de uso correto das águas; políticas de uso correto dos solos, do manejo e da preservação; políticas de recuperação do Ciclo do Sistema Natural: biomas, ecossistemas, solos, manejo, preservação, ciclo de águas superficiais e subterrâneas, aquíferos, reservatórios, usinas sem água suficiente, canais e transposição.

Política auto inclusão vocacionados indígenas: responsáveis pela preservação e aptos para a recuperação ambiental, recuperação do ciclo das águas. No Brasil, até meados dos anos 70, acreditava-se que o desaparecimento dos povos indígenas seria algo inevitável. Nos anos 80, verificou-se uma tendência de reversão da curva demográfica e, desde então, a população indígena no país tem crescido de forma constante, indicando uma retomada demográfica por parte da maioria desses povos, embora povos específicos tenham diminuído demograficamente e alguns estejam até ameaçados de extinção. Na listagem de povos indígenas no Brasil elaborada pelo ISA, sete deles têm populações entre 5 e 40 indivíduos.

Veja aqui a lista de povos e respectivas populações no Quadro Geral dos Povos: https://pib.socioambiental.org/pt/Quadro_Geral_dos_Povos

Dos 254 povos listados, 48 têm parte de sua população residindo em outro(s) país(es). Quando há informações demográficas a respeito, essas parcelas são contabilizadas e apresentadas separadamente, segundo a fonte da informação, e não contam na estimativa global para o Brasil. Os mais de 240 povos indígenas somam, segundo o Censo IBGE 2010, 896.917 pessoas. Destes, 324.834 vivem em cidades e 572.083 em áreas rurais, o que corresponde aproximadamente a 0,47% da população total do país.

Política de Inovação Educacional e Cultural: Disciplinas escolares em todas as séries com inclusão de conhecimento básico em gestão ambiental e gestão de resíduos para os resultados otimizados diários da logística reversa.

Política de Desenvolvimento de Tecnologias Inovadoras para o Resultado otimizado da Logística Reversa.

Política de Produção com Economia e com autossustentabilidade, com embalagens e manejo seguros de baixo custo, sistema de permacultura, agroflorestal e silvopastoril.

Atividades Inovadoras de manejo e preservação de todas as árvores existentes, com o condicionamento, irrigação, podas corretas, cuidados diários para prevenir erosões, quedas, avarias com desabamentos de estradas, ruas, pontes, prédios, construções em geral, lama asfáltica de todas as pistas existentes tanto com asfalto, concreto ou com terra, com ou sem pedregulhos, e uso das disponibilidades orgânicas para o aproveitamento, para a própria nutrição das árvores e compostagem em geral.

Bocas de Lobo com as adequações necessárias, prevenindo terras, orgânicos e foco dengue, além de baratas e a contaminação das águas.

Esgoto doméstico: sifões que protegem as águas de sintéticos e orgânicos em toneladas diariamente; solucionamos metade da questão de residual perigoso nas águas, protegendo as águas de comidas, alimentos em geral, gordura, sal, pedaços e partículas de sintéticos indo no esgoto doméstico.

Inovações no setor produtivo: substituindo sintéticos por produtos feitos com insumos naturais e com planejamento completo para a logística reversa com recipientes para mudas feitos com insumos naturais orgânicos e recipientes para alimentos em geral.