História da Educação Ambiental

Mediante uma perspectiva histórica, observamos que a educação ambiental é uma ciência nova no ramo da aprendizagem formal e informal, já que o movimento ambiental nasceu somente em meados da década de 70. A Conferência da Declaração das Nações Unidas para o Ambiente ocorreu em 1972, sendo esta o marco inicial para o início das atividades de proteção física, química e biológica do planeta Terra.

Outro marco foi a Conferência de Tbilisi em 1977, na antiga União Soviética. Ela considerou a educação ambiental como um processo permanente no qual os indivíduos devem tornar-se conscientes do seu ambiente e adquirem conhecimento, valores, habilidades, experiências e a determinação para agir individualmente e coletivamente, prevenindo e resolvendo problemas presentes e futuros que possam impactar os sistemas ecológicos globais.

A popularização da temática da educação ambiental na sociedade teve seu boom em 1980, ainda que lentamente. se vocês retornarem o tempo, refletirem sobre o passado, observarão que não mencionavam temas como sustentabilidade, preservação do meio ambiente, aquecimento global, economia verde, entre muitos outros temas. A Ecologia referia-se somente a uma área da Biologia que aprendia no Ensino Médio.

E Educação Ambiental surgiu como resposta à CRISE DO SISTEMA EDUCATIVO; Ela possibilita a adoção de uma cosmovisão sistêmica, em que as interações culturais, sociais e naturais estão totalmente integralizadas, visando superar a dicotomia entre NATUREZA e SOCIEDADE para estabelecer uma atitude ecologicamente equilibrada. Todo programa de Educação Ambiental é um instrumento importante de sensibilização e capacitação e estimula a participação de todos para apresentações de soluções e propostas para ações, reavaliando os resultados, campanhas de incentivo, seminários e etc.

No pós Conferência de Tbilise em 1977, no Brasil por exemplo, predominou o discurso voltado para o PROGRESSO NACIONAL, todos queriam ver o país crescer e se desenvolver. Vivia-se a chamada euforia “MILAGRE BRASILEIRO” com a economia totalmente em expansão. O setor industrial se ampliava com a entrada de capital multinacional, a agricultura expandia a sua área de cultivo para o Centro Oeste e Norte do país, diversas obras se espalhavam pelo território nacional. Como as obras: USINA HIDRELÉTRICA DE ITAIPU, RODOVIA TRANSAMAZÔNICA, PONTE RIO-NITERÓI… O Brasil iniciava sua definição como um país de características urbanas com crescimento do comércio, dos setores de serviços e com o aumento do processo migratório da população rural para as áreas em desenvolvimento urbano. Com isso, as cidades que não tiveram um planejamento urbano adequado para poder receber tamanha quantia de pessoas , vieram também os problemas de poluição e o desmatamento era visto como sinônimos de evolução, que o Brasil deixaria de ser um país totalmente pobre. O Brasil viva um momento de modernização total e até a educação era voltada para o processo de que o progresso faria uma mudança na educação e tornaria o povo moderno.

Para FREIRE (1993) “A educação ambiental devidamente entendida, deveria constituir uma educação permanente, geral que reate às mudanças que se produzem num mundo em rápida evolução”.

O Mundo todo vivia uma evolução extraordinária do crescimento econômico do pós guerras mundiais e foi justamente no início da década de 60 que uma cientista e ecologista americana tinha lançado a obra que ficou conhecida no Brasil como Primavera Silenciosa. Por quê isso? Porque tudo quanto é produto químico dos materiais bélicos do pós guerra, serviu como substancias tóxicas para a agricultura e foi com todos estes químicos que a sociedade que trabalha com agricultura foi abandonando o método antigo, eficaz, eficiente que um solo, a água, o ar tem sobre todo este processo.

Depois disso, tivemos novas conferencias como a ECO-92, sediada no Rio de Janeiro e atualmente a Rio+20 que ocorreu em 2012. Uma conferência mais linda do que a outra, sempre dizem que as declarações por todos os líderes serão desenvolvidas. Mas desde o surgimento da preocupação com o meio ambiente, que a sociedade global não minimiza seus impactos, muito se falou, diversas novas descobertas surgiram, algumas destas inovações fica com o poderio apenas para quem tem poder econômico para usufruir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *